Sobre a pesquisa

 

Olá, meu nome é Narrira e atualmente estou estudando doutorado no programa de História das Ciências e das Técnicas e Epistemologias, na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Esse site é uma etapa da minha pesquisa, que é a respeito do resgate das histórias dos cursos de Ciências de Computação. Esse projeto ainda está em fase de definição. Esse resgate deve ter foco em histórias de mulheres que participaram do processo de estabilização dos cursos de computação, especialmente no Brasil e na cidade do Rio de Janeiro. O nome inicial deste projeto é “Multi-histórias para a computação”.

Audre Lorde, escritora e ativista feminista, escreveu um texto chamado “A transformação do silêncio em linguagem e ação”. Nele, ela menciona o Kwanzaa, uma festividade afroamericana que acontece uma vez por ano e conta com sete princípios. Um destes princípios é “Kujichagulia: a autodeterminação, a decisão de definir a nós mesmas, de dar nomes, de falar por nós em vez de sermos nomeadas e expressadas por outros“.

A ideia das “multi-histórias” é derivada de uma palestra da escritora Chimamanda N. Adichie, que está disponível no vídeo abaixo. Mas também me inspiro em várias outras pesquisadoras, como Judith Butler, Paul Beatriz Preciado e Donna Haraway – cujo texto “Manifesto Ciborgue” foi fundamental para minha pesquisa do mestrado, realizado no programa de pós-graduação em Sociologia, na Universidade Federal de Goiás.

Veja o vídeo abaixo “o perigo de uma única história” (tem legenda):

 

Como experiência pessoal, ouvi muitas colegas que sofreram preconceitos em seleção acadêmica ou de trabalho nesta área. Por este motivo, convido outras mulheres que possam contar suas histórias, de maneira anônima, que serão posteriormente divulgadas em vídeo. Essas histórias serão narradas, de maneira interpretativa, por outras pessoas, independente do gênero, num vídeo compilado que será publicado na internet e utilizado em congressos ou reuniões acadêmicas.

Para enviar o seu relato, clique aqui! 🙂

Ao participar dessa pesquisa, você concorda com os seguintes termos:

1. Sou mulher, cis ou trans, da área de tecnologia ou áreas afins.
2. Meu relato é verídico.
3. Autorizo a reprodução e a divulgação de meu relato de maneira integral e audiovisual na internet e em congressos acadêmicos; e representada por outra pessoa.
4. O vídeo não poderá ser utilizado para fins comerciais.
5. O vídeo seguirá a licença Creative Commons – Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International (CC BY-NC-ND 4.0).

Go Top